Dinheiro é importante, mas bons relacionamentos também é!

Publicado em 13/10/2016

Imaginamos que tudo o que fazemos tem relevância, muitas vezes nem conseguimos analisar se o que fazemos é mesmo imprescindível.

Dinheiro é importante, mas bons relacionamentos também é!
Foto: Divulgação

Há algum tempo, eu queria fazer parte da alta administração da empresa onde trabalhava. O estilo de vida dos executivos, principalmente em relação à questão financeira, era algo que eu acreditava ser essencial para minha vida. Por isso, trabalhar muitas horas e passar o
dia em reuniões eram parte da minha rotina. Para mim, era importante que eu fizesse isso, afinal, como a maioria dos executivos agia assim, a “mensagem” que eu compreendia era que se eu quisesse seguir aquele caminho, deveria fazer o mesmo.

Mas, um dia, eu me dei conta de que não estava feliz. No começo, pensei que era só cansaço e que uma noite de sono bem dormida resolveria. Mas não resolveu. Outras fatos ocorreram em minha vida e percebi que, embora eu quisesse ter uma tranquilidade financeira, aquilo não era o mais relevante. Quando o choque inicial passou, afinal, eu teria que mudar tudo o que havia planejado até aquele momento, comecei a observar como eu me sentia e em que eu pensava enquanto fazia alguma coisa.

Foi a partir daí que eu me dei conta de que estar com as pessoas no trabalho me fazia bem. Ajudá-las era algo que eu adorava e, quando fazia isso, nem via o tempo passar. Gostava de ver que eu poderia tornar o trabalho de alguém mais fácil, mais prazeroso e contribuir com o seu crescimento profissional. No entanto, percebi que fazer isso não era relevante para a empresa. Conseguir um novo contrato seria mais valorizado, mesmo que gerasse horas extras de trabalho. Assim, o que era essencial para mim dificilmente me levaria à alta administração – pelo menos não onde eu havia planejado.

Resumindo, se eu chegasse a ser uma executiva naquela organização, ficaria insatisfeita, pois teria abandonado o que realmente queria: ter tempo e disposição para construir relacionamentos e contribuir com o crescimento de outros profissionais.

Por isso, convido você a observar como se sente e em que pensa enquanto faz algo. Essas atitudes irão trazer indicações se está no caminho certo ou se deixou de lado o que realmente importa para sua vida. É possível que você se dê conta de que o sonho de morar na praia não é o seu desejo real. Também pode ser que precise fazer pequenas mudanças em sua rotina, por exemplo, tomar café da manhã com a família. Enfim, ser importante não significa ser grande. Ser importante significa ser essencial para sua felicidade.

Fonte: Catho por Lygia Pontes : Advisor e Consultora em Comportamento, Comunicação e Gestão. Auxilia empresas e pessoas a identificarem e solucionarem problemas importantes antes de se tornarem urgentes.


Categorias: Notícias

Comentários

 

 

Mais Notícias

Página 1 de 90