Estações Compactas de tratamento biológico de efluentes

Publicado em 01/06/2015

Tratamento totalmente biológico, eliminando com eficiência o mau cheiro e o lodo

Estações Compactas de tratamento biológico de efluentes

VANTAGENS:

- Dispensa energia elétrica

- Não é necessário a adição de produtos químicos

- Não gera gases nem lodo

- Pouca manutenção

- Compacta - Espaço reduzido utilizado no processo.

- Possibilidade de REUSO DA ÁGUA

- Atende as normas vigentes.

O Sistema

O Sistema Natural de Tratamento de Efluentes é um sistema anaeróbio que devolve o efluente tratado à natureza, sem adição de qualquer produto químico, o que permite o reaproveitamento da água gerada.

A qualidade do produto final é surpreendente, chegando a superar as exigências da legislação ambiental vigentes no Brasil e no mundo. O Sistema Natural de Tratamento de Efluentes é instalado em E.T.Es (Estação de Tratamento de Efluentes) que podem ser instaladas com toda praticidade em áreas urbanas e rurais, independente de seu adensamento populacional.

Com certificação de eficácia, o sistema não possui necessidade de adição de produtos químicos e nem de energia, tendo como característica mais importante a preservação do meio ambiente.

É capaz de reduzir as cargas de DBO, DQO, nitrogênio na forma de nitratos e nitritos, fósforo, coliformes fecais e totais, ferro, sólidos suspensos e sedimentáveis, sulfatos, óleos e graxas.

Para que o bom desempenho do sistema seja mantido é importante que os usuários tenham um breve conhecimento de sua estrutura.

A E.T.E. - Estação de Tratamento de Efluentes é composta de um conjunto modular de tanques que podem ser confeccionados em termoplástico ou alvenaria, dependendo das condições locais e do volume de efluentes a serem tratados.

O sistema promove a degradação da matéria orgânica e remoção da carga do efluente.

Área de Atuação

  • Esgotos Sanitários; Domésticos, municipal, presídios, hotéis, assentamentos, construções verticais, condomínios, loteamentos, residências, conjuntos habitacionais, hotéis, escolas, clubes, bairros.
  • Efluentes Industriais; Frigoríficos, fecularias, curtumes, laticínios, papel e celulose.
  • Lixiviados; Chorume de aterros sanitários.

A principal aplicação é no tratamento de efluentes de esgoto sanitário, em substituição às fossas sépticas e digestores anaeróbicos, aos reatores UASB, aos reatores RALF, e às lagoas de estabilização de lodos ativados.

Pode ser aplicado também em efluentes industriais com alto teor de matéria orgânica, em substituição ao tratamento químico ou biológico. Pode, ainda,ser utilizado como tratamento primário de fontes de água para consumo humano, já que os efluentes tratados podem ser classificados, segundo a Resolução do Conama n.357/2005, como classe 2, isto é, águas que podem ser destinadas ao abastecimento para consumo humano, após tratamento convencional, à proteção das comunidades aquáticas e à recreação de contato primário, tais como natação, esqui aquático e mergulho.

Funcionamento

O SISTEMA tem como principais caraterísticas a simplicidade e facilidade de instalação e manutenção. É composto de 4 (quatro) estágios de tratamento interligados, e o tempo de tratamento é de 4 a 8 horas de retenção a partir da entrada do efluente no primeiro estágio até a sua saída no quarto estágio. O tamanho das caixas de cada estágio é variável de acordo com a quantidade de efluente a ser tratado. Uma das Vantagens principais do SISTEMA é que não necessita de energia, nem adição de produtos químicos, não gera gases e nem gera lodo.

O efluente que passa pelo processo de filtragem e purificação, na saída do sistema, terá água classe 2 para descarte ou reuso, contribuindo desta forma para a preservação e recuperação dos mananciais.

Tratamento Primário
Geração da colônia de bactérias anaeróbias oriundas das fibras naturais com ciclo de vida auto-sustentável. Tem por função digerir a carga orgânica proveniente do efluente. A principal característica desta colônia é a baixa concentração de lodo não necessitando de manutenção permanente.

Tratamento Secundário
Tem como função a estabilização da colônia de bactérias oriunda do tratamento primário.

Tratamento Terciário
Tem como função a remoção de DBO e DQO através de filtragem e de aeração natural que se dá em razão da colocação da malha filtrante.

Complemento de Potabilidade.
Ultima filtragem que impede a passagem dos sólidos suspensos remanescentes, eliminando odores por tratar-se de filtros enzimáticos, resultando em um líquido transparente e inodoro permitindo a sua reutilização ou descarte classe 2

Através dos processos de biossorção e adsorção, o Sistema acelera o principio natural de autodepuração dos corpos hídricos utilizando matéria orgânica, compostos nitrogenados, sólidos suspensos e dissolvidos, os quais arrastam os principais compostos contaminantes existentes nos efluentes como fonte energética para o desenvolvimento microbiano, garantindo uma eficiência na degradação da carga orgânica poluidora, gerando assim uma imperceptível quantidade de lodo. Quanto ao escape hidráulico das cepas, o mesmo não ocorre em função das colônias microbianas estarem aderidas a um meio de suporte, cuja finalidade é criar um ambiente pistonado (fluxo em pistão) onde somente ocorre o contato com o meio liquido, não havendo arraste de cepas.

Solicite orçamento:

Contato:

Augustinho Dândalo

Diretor de novos negócios

(16) 3419-6685      (16) 9 9616-9855 (VIVO)        9 8147-2211 (TIM)

Vídeo


Categorias: Produtos

 

 

Mais Notícias

Página 1 de 90